TRATAMENTOS PRÉ E PÓS CIRÚRGICOS

TRATAMENTOS PRÉ-CIRÚRGICOS:


TRATAMENTO PRÉ-CIRÚRGICO FACIAL: As únicas cirurgias plásticas faciais em que se aconselha algum preparo pré-operatório são a rinoplastia (cirurgia de nariz) e a ritidoplastia ou lifting facial (cirurgia da face).


O tratamento ideal proporciona uma higienização da pele do paciente evitando possíveis infecções e reações alérgicas, e, portanto, facilita a performance do cirurgião.


O nariz é uma região sujeita ao aparecimento de acne e, consequentemente, da proliferação de bactérias. Por isso, cerca de dez dias antes da Rinoplastia é aconselhável que se faça uma limpeza de pele profunda, na qual são retirados os comedões (cravos) e uma camada superficial da pele é descamada através de um peeling suave, possibilitando a retirada de resíduos. Assim, a pele fica preparada para o ato cirúrgico.

TRATAMENTO PRÉ-CIRÚRGICO CORPORAL: Para que a cirurgia plástica obtenha os resultados esperados, é preciso seguir as orientações médicas quanto à preparação da pele para as incisões e agressões a que, como em qualquer outra cirurgia, o corpo é submetido. São sugeridos esfoliação e hidratação.


A esfoliação tem por finalidade retirar resíduos das camadas superficiais da pele, melhorando assim sua permeabilidade. Já a hidratação aumenta a elasticidade do tecido, que no dia-a-dia resseca naturalmente.


As cirurgias de Lipoaspiração e Dermolipectomias (cirurgia de abdome) precisam de cuidados especiais, além desses últimos. A utilização do equipamento Accent Pro, nesses dois casos é recomendada, porque exige a retirada de menor quantidade de pele, além de prevenir a formação de fibroses em excesso.

TRATAMENTOS PÓS-CIRÚRGICOS:


TRATAMENTO PÓS-CIRÚRGICO FACIAL: O período pós-operatório de toda cirurgia plástica passa por três fases distintas: imediata, mediata e tardia. Cada fase exige um acompanhamento diverso. É importante salientar que o resultado da cirurgia melhora quando se segue as recomendações, mas que elas não são obrigatórias.


Na primeira fase é normal o aparecimento de algum inchaço (edema) e hematomas (manchas arroxeadas). O tratamento consiste na diminuição destes edemas, na ativação da circulação, que diminui nos primeiros dias após a cirurgia, na oxigenação do tecido operado e na prevenção de fibroses. São indicadas dez sessões de drenagem linfática, duas vezes por semana.


Esses efeitos se prolongam na segunda e na terceira fases do pós-operatório, obviamente com menor intensidade. Por isso, o tratamento deve ser feito por todo esse período. Na segunda fase, a criotermoterapia é indicada para diminuir o endurecimento e a “ondulação” que podem decorrer do aparecimento de fibrose.


Na terceira fase são indicados equipamentos de alta tecnologia, como radiofrequência (Accent pro), eletroestimulação e infravermelho longo (Invel), para diminuir e/ou prevenir a flacidez.

TRATAMENTO PÓS-CIRÚRGICO CORPORAL: Assim como nas cirurgias faciais, as corporais também passam pelas mesmas três fases no pós-operatório. Na primeira fase são indicadas dez sessões de drenagem linfática e ultrassom, duas vezes por semana, para diminuir edemas e ativar a circulação / oxigenação.


Com menor intensidade, o inchaço permanece na segunda fase, onde também pode ocorrer o início da fibrose, que culmina com o aparecimento de ondulações e enrijecimento no local operado. Nesses casos indicam-se dez drenagens linfáticas e ultrassom, e sessões de indermologia.


As consequências das cirurgias corporais diminuem gradativamente até a terceira fase. Não se deve, porém, interromper o tratamento nesse ponto. Nesse último momento, também pode ocorrer flacidez. Todos esses efeitos podem ser minimizados com o uso de equipamentos de ponta, como radiofrequência (Accent pro), eletroestimulação e infra-vermelho longo (Invel).

Rua Saioá, 1279 - Ipiranga - São Paulo - SP - Cep: 04124-120 Tel: (11) 5061-4696 / 5061-2995 - BY TJNET